TÉLÉGRAMME CHÂTEAUNEUF-du-PAPE AOC 2011

Cod: VIE03011

Seja a primeira pessoa a avaliar este produto

Produtor: Domaine du Vieux Télégraphe
País: França
tipo: Tinto



Região: AOC Châteauneuf-du-Pape, Rhône
Uvas: 80% Grenache, 10% Syrah, 6% Mouvédre e 4% Cinsault
Volume: 750ml


Pontuação: Wine Spectator - 90 pontos; Robert Parker - 88 pontos

Preço já inclui o novo IPI ?

De acordo com a Medida Provisória número 690/15, convertida em Lei número 13.241 (30/12/2015), desde 01/12/2015 todos os vinhos vendidos no território brasileiro estão sujeitos à cobrança de IPI com alíquota de 10%. Os preços de venda em reais referenciados em nosso site já incluem o valor do IPI.

Disponibilidade: Esgotado

R$553,48
Télégramme é a segunda linha dos vinhos Châteauneuf-du-Pape feito com uvas de videiras mais mais novas, com média de 30 anos. Este exemplar está muito suculento, aromático com notas de framboesa, morango e especiarias.

Saiba Mais


Sobre o produtor

Foi Hippolyte Brunier, em 1898, quem escreveu o primeiro capítulo dessa maravilhosa história familiar, na vila de Bédarrides, na porção sudeste da região de Châteauneuf-du-Pape.
Hippolyte plantou suas primeiras vinhas no platô de La Crau, onde vinhedos são cultivados desde o século XIV e local em que Claude Chappe, inventor do telégrafo ótico, construiu uma das suas torres de comunicação. Jules Brunier, filho de Hippolyte estendeu a propriedade para 17 hectares e, apropriadamente, a batizou de Vieux Télégraphe, hoje, o mais famoso domaine da família Brunier.
Desde o início de 1980, os dois bisnetos de Hippolyte, Frédéric e Daniel Brunier, são os responsáveis pela continuidade da história de sucesso e qualidade dos vinhos produzidos pela família.
Especialistas e apaixonados pelo sul do Vale do Rhône, os Bruniers decidiram ampliar seu portfólio com novas aquisições na região. Em 1986 adquiriram o Domaine La Roquète, vinícola da zona de Châteauneuf, cujo mosaico de vinhedos e terroirs lhes encantou e desafiou; e, em 1998, compraram o Domaine Les Pallières, localizado nos sopés calcários das montanhas Dentelles de Montmirail, na sub-região de Gigondas.

Vinificação

As uvas colhidas manualmente de videiras em média com 30 anos, passam por uma dupla seleção, desengace e delicada prensagem. A fermentação tradicional com temperatura controlada dura cerca de 25 dias seguida de prensa pneumática e fermentação malolática. A maturação é feita em duas etapas, a primeira em tanques de madeira por 10 meses e a segunda por 6 meses em barricas de carvalho. O vinho é engarrafado sem filtragem após esse período de quase 2 anos.


Cor: Vermelho rubi.
Aroma: Aroma intenso com notas de framboesa, morango e especiarias.
Palato: Um vinho suculento, taninos delicados e final marcante.
Harmonização: Acompanha muito bem carnes vermelhas, risoto de funghi e queijos.
Teor alcoólico: 15.6%